"... não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural. Nada deve parecer impossível de mudar."
Bertold Brecht

29 de jan de 2016

Em 29.1.16 por Dr. Renan Marino     Comentários
O Hospital da Restauração, no Recife, divulgou o primeiro caso de miosite aguda causado pelo vírus da chikungunya. Segundo a equipe médica da unidade, apenas na Índia, entre 2013 e 2014, há registro de quatro pacientes que tiveram a doença provocada pela arbovirose transmitida pelo Aedes aegypti.

A miosite acomete os músculos do paciente e pode causar além de fortes dores, convulsões, paralisia de partes do corpo como o rosto, braços e pernas, por exemplo, e do aparelho respiratório, provocando infecção grave.

A enfermidade pode ser provocada por outras infecções...

Clique aqui para ler a matéria completa na Folha de S Paulo.

23 de dez de 2015

Em 23.12.15 por Dr. Renan Marino     Comentários

Semeie a Paz, combata a Ignorância, plante Crotalária!!!

Quando Gandhi estudava Direito na Universidade de Londres, tinha um professor chamado Mr. Peters, que em nada dissimulava sua antipatia por ele. Um dia aconteceu de sentarem juntos no refeitório.
O professor disse:
- Sr. Gandhi, você deveria saber que um porco e um pássaro não comem juntos...
- Ok, professor... Já estou voando!!!... redarguiu e prontamente foi para outra mesa.
Profundamente ferido em seus brios de pedagogo, e sentindo ameaçada sua autoridade acadêmica, planejou vingança para o exame que se aproximava...
Mas Ghandi, brilhantemente, como sempre, escapa de suas armadilhas e responde a todas as suas perguntas.
Então ele resolve fazer o seguinte desafio:
- Sr. Gandhi, indo o Sr. por uma rua e encontrando uma bolsa, abre-a e encontra a Sabedoria e um pacote com muito dinheiro. Com qual deles ficaria?
Gandhi refletiu e respondeu...
- Claro que com o dinheiro, professor!
- Ah! Pois eu no seu lugar Gandhi, ficaria com a sabedoria!
- Tem razão professor, cada um ficaria com o que não tem!
O pseudo-mestre, furioso escreveu na prova "IDIOTA" e lhe entregou.
Gandhi recebeu a prova, leu e voltou e disse:
- Mestre, o senhor assinou a prova, mas não deu a nota!

Moral da historia: Semeie a Paz, Amor, Compreensão. Mas trate com firmeza quem te trata com desprezo. Ser gentil não é ser omisso, submisso, nem refeição de Aedes, nem saco de pancadas!

Vamos combater o terrível “Mosquito da Dengue” ecologicamente!

Visite agora mesmo: www.crotalaria.com.br

12 de dez de 2015

Em 12.12.15 por Dr. Renan Marino     Comentários
As recentes descobertas sobre o Zika Vírus pelo Laboratório de Flavivírus da IOC/FIOCRUZ, mostram seu acentuado neurotropismo , passagem transplacentária e presença no líquido amniótico, o que explica satisfatoriamente a fisiopatologia da malformação do Sistema Nervoso Central que decorre de sua ação neuropática. Assim, a ação deste flavivírus retardando o processo de multiplicação neuronal, ao infectar o cérebro no final do 1º trimestre de gestação, tem como consequência direta a microcefalia fetal, envolvendo também todas as estruturas anatômicas neuro-sensoriais que, tendo seu desenvolvimento afetado, resultarão em transtornos ou malformações, como: oculares (catarata, cegueira, glaucoma), otológicos (surdez), etc...  Mas não somente isto, esclarece inclusive a elevada incidência dos quadros da Síndrome Paralisia Ascendente de Guillain Barré, principal co-morbidade verificada em crianças e adultos que apresentam a Febre Zika, podendo levar a sequelas ou até mesmo a óbito!

O Medicamento a ser acrescentado para controle da Febre Zika, e que pode e deve ser usado concomitantemente ao emprego do complexo antidengue (phosphorus albus + Eupatorium perfoliatum + Crotalus horridus) nas áreas em comum que ambos ocorram, é Gelsemium sempervirens 30 CH.

Este medicamento representa, sem dúvida alguma, o "gênio epidêmico" dos casos de Febre Zika, e deve ser empregado como segue:

Gelsemium 30 CH

- PREVENTIVO: 5 gotas via oral, 1X por mês - ex: todo 1º dia de cada mês enquanto ocorrerem casos de Febre Zika.
- CURATIVO: 5 gotas via oral, 4X ao dia, durante 10 dias

Nos casos de Guillain Barré: manter a medicação 4X ao dia até a completa recuperação do quadro.

Renan Marino
Prof. Assistente do Departamento de Pediatria/FAMERP
Prof. do Instituto Homeopático François Lamasson/Ribeirão Preto

Leia mais em Perguntas e Respostas, clique aqui.

5 de mai de 2015

Em 5.5.15 por Dr. Renan Marino     2 comments
Médico rio-pretense afirma que o remédio Proden pode ser usado na prevenção e no combate da dengue, com apenas algumas gotas ao dia. Segundo ele, se o medicamento fosse distribuído na rede pública, evitaria epidemias e casos graves da doença em todo o país. O número de casos de dengue vem aumentando drasticamente em todo o país. De janeiro até 18 de abril, 745,9 mil casos foram confirmados da doença em todo o Brasil. Em Rio Preto a situação também não é diferente, cerca de 2.989 pessoas já contraíram a doença.

Clique aqui para ler a matéria completa no DHOJE.

30 de abr de 2015

Em 30.4.15 por Dr. Renan Marino     Comentários
A dengue voltou com força. Só no primeiro trimestre deste ano, mais de 460 mil casos da doença foram registrados no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde. O aumento é de 240% em relação ao mesmo período de 2014, quando foram registrados 135,3 mil casos da doença. Houve também aumento no número de mortes, que passou de 102 para 132. Há quem diga, porém, que o óbito decorrente da dengue seja “imoral”. É a opinião do médico homeopata e professor da Faculdade de Medicina de Rio Preto, Renan Marino, criador da fórmula do único medicamento para dengue aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Há quase uma década, diferentes estados brasileiros desenvolvem experiências bem-sucedidas na prevenção e tratamento da dengue com o remédio desenvolvido por Marino. “Não se trata de uma vacina, mas um medicamento homeopático que tem a função de atenuar o quadro da doença”, esclarece o médico, que apresentou a fórmula pela primeira vez em um trabalho de mestrado em 2003.

O medicamento é composto de três componentes: eupatório (Eupatorium perfolatium), planta medicinal com ação analgésica que age nas dores no corpo típicas da dengue; fósforo, mineral que protege as funções hepáticas normalmente comprometidas pelo vírus, além de reduzir náuseas e vômitos; e um preparado do veneno de uma espécie de cascavel (Crotalus horridus), que tem forte ação anti-hemorrágica...

Clique aqui para ler a matéria completa.

23 de abr de 2015

Em 23.4.15 por Dr. Renan Marino     Comentários
Um estudo recente demonstrou que o paracetamol (Tylenol), popular remédio contra a dor, também pode tornar as pessoas insensíveis a emoções positivas e negativas. Em um experimento randomizado e controlado, 85 pessoas tomaram 1.100 miligramas de Tylenol ou um placebo. Uma hora depois, os pesquisadores apresentaram a eles 40 imagens em ordem aleatória. As imagens eram muito agradáveis (por exemplo, crianças rindo com gatinhos em um parque), neutras (um rolo de macarrão em cima de uma mesa) ou muito desagradáveis (um vaso sanitário cheio de excrementos). O estudo foi publicado online no periódico "Psychological Science".

Clique aqui para ler a matéria completa no UOL.

1 de jan de 2015

Em 1.1.15 por Dr. Renan Marino     Comentários
Um artigo publicado por pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) na revista científica Bulletin of the World Health Organization, editada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), aponta para a necessidade de mudança nas estratégias de controle da dengue no Brasil. O estudo mostra que as medidas recomendadas pelo Programa Nacional de Controle da Dengue não foram suficientes para conter a disseminação do vírus tipo 4, detectado na cidade de Boa Vista, em Roraima, em 2010. “Analisamos uma situação em que todas as ações foram realizadas de acordo com o protocolo do Ministério da Saúde, que segue as recomendações da Organização Panamericana de Saúde (Opas) e da OMS. Mesmo assim, o impacto sobre a infestação de mosquitosAedes aegypti foi pequeno. Esse é um exemplo contundente de que é preciso refletir sobre quais são as melhores práticas de controle”, afirma a pesquisadora do Laboratório de Biologia Molecular de Flavivírus do IOC e uma das autoras do trabalho Denise Valle.

Clique aqui para ler a matéria completa.